domingo, 25 de janeiro de 2015

Os protestos além das ruas

É claro que nós sabemos que os protestos devem ir além das ruas e somente quando os cidadãos estiverem organizados é que teremos alguma chance de mudar o que está estabelecido.
No entanto, os protestos de rua são de suma importância tanto para os veteranos que por lá marcham representando os seus respectivos movimentos, quanto para o manifestante apartidário e desligado de quaisquer movimentos, por ora.
Todavia, se para tudo há um começo, manifestar-se publicamente nas ruas significa dar o pontapé inicial para a sua própria politização. Além do que, nada mais confiável do que os nossos próprios olhos para conferir o que realmente ocorre nas ruas durante as passeatas.
E quem frequenta manifestação, conhece melhor do que ninguém o modus operandi dos militares que, em teoria, deveriam “proteger”, mas acabam por fazer o contrário.
Sempre fortemente equipados com capacetes, escudos, cassetetes, armas e bombas, os agentes da repressão fazem um cordão de isolamento em volta de nós, os manifestantes. Entretanto, o fato é que eles estão ali tão próximos com o intuito óbvio de mandar o direito à livre manifestação para o ralo abaixo, a qualquer instante.
Enfim, desde que se tem conhecimento, o braço opressor do Estado é um clichê em protestos populares. Mas o que eu gostaria mesmo é me ater à questão de até onde vai o nível de politização das pessoas.
Se os protestos simbolizam a força do povo face à sua pauta reivindicativa, é interessante saber o que faz o manifestante além de se manifestar nesses atos em prol da causa que ele está defendendo?
As ruas é o local por onde o mar da revolta popular escoa, e é também por onde a voz da população, que na maior parte do tempo é calada, finalmente consegue bradar por seus direitos, para tecer críticas, e para inclusive, incentivar os seus semelhantes a se juntarem à luta.
Por fim, reitero que somente através da consciência de classe, isto é, uma classe consciente da injustiça que sofre, é que haverá chances reais de sua própria emancipação.