quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Esforço: o denominador comum da vida

Qual é o denominador comum da vida se não é o esforço? Esforçar-se para sobreviver, viver, lutar, amar...

Intrinsecamente, nada mais importa do que pelo que você está se esforçando e em vista de que você está fazendo isso.

É por isso que tudo é uma questão de esforço. A vida das pessoas se resume a uma questão de empenho.

Eu não estou defendendo aqui a meritocracia dentro de um sistema determinado. Bem longe disso! O que eu desejo dizer é que tudo que nós precisamos é de oportunidade para nos empenharmos.

Tudo o que as pessoas necessitam é da liberdade para competir. E não falo em competição entre pessoas, mas sim consigo mesmo. Superar às nossas próprias limitações, reparar nossos defeitos. Enfim, provarmos a nós mesmos que podemos ser melhores.

Ora, nós só poderemos nos dedicar aos estudos a partir do instante que tivermos acesso a ele. Assim como nós só poderemos nos dedicar ao trabalho quando tivermos um.

A próxima pergunta é: O que faz o mundo ser como ele é? São exatamente os esforços somados de cada ser humano. Logo, se o mundo não está bem, provavelmente lhe falta esforços positivos. 

Grande parte das pessoas está separada dos seus objetivos por uma muralha. Este atravanco nos impede que haja qualquer possibilidade de praticarmos o esforço individual visando atingir as nossas metas.

O sistema é cruel. Não nos é permitido sequer tentarmos ser o que nós queremos. Impõem-se inúmeras barreiras em nossa frente. Adversários com os quais muitas vezes não podemos lutar de tão desproporcionais que são em relação a nós.

Portanto, a minha análise final é a de que quando o mundo visto de um ponto de vista não mundano, mais puro, sem grandes interferências e influências humanas, torna-se nítido perceber o quão simples nós originalmente somos. O quão fácil poderiam ser nossas respectivas vidas. O quão possível poderia ser viver em paz. Nosso único desafio seria o de nos esforçarmo-nos todos os dias a fim de elevar o nosso potencial individual.