sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

A ideologia

Vivemos sob a sociedade dos rótulos. Estamos absurdamente acostumados a rotular aos outros e a nós mesmos.

Rotular redunda em definir, e definir, por sua vez, redunda em limitar. Parece que se nos definirmos agora, estaremos nos fechando para as novas e boas ideias que ainda não conhecemos.

É por isso que no instante em que me indagam: afinal, qual é a sua ideologia? Eu respondo: o melhor de cada uma delas.

Ideologias novas ou velhas, temos de saber filtrá-las. Pois nenhuma ideologia é impassível de contradições ou extremismos.

Ideologia pode carregar uma complexidade de nomenclaturas e derivar de diversas origens, contudo, ela também pode ser mais lacônica e prática.

Ideologias separam e unem indivíduos concomitantemente, mas não por culpa de si mesma. Já que por trás de quaisquer ideologias existe um caráter individual. E este sim, é o intrínseco responsável por destruir ou construir algo.

E se a ideologia é bem-vinda? Eu não vejo como viver sem ideologia. O que é possível apenas é viver sem declara-las. Todavia em nosso âmago, seguimos sempre aquilo que acreditamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário